7 boas práticas para uma gestão de fornecedores de tecnologia mais eficiente

É comum vermos as empresas investirem em programas e políticas para se relacionarem bem com seus clientes, e isso é fundamental para conquistar um lugar competitivo no mercado. Contudo, a gestão de fornecedores de tecnologia também deve receber a mesma atenção. Afinal, são as empresas fornecedoras que fazem um empreendimento dar certo, não é mesmo?

Uma gestão desse tipo é essencial para empreendedores que pretendem expandir os negócios, pois permite alcançar objetivos importantes, como obter bons produtos e oferecer bons preços e prazos. Com isso, a empresa torna-se mais atrativa aos consumidores mediante a oferta de mercadorias e serviços de qualidade.

Hoje, falaremos sobre as melhores práticas para fazer uma gestão de fornecedores. Acompanhe!

1. Avalie seus fornecedores

A avaliação de fornecedores passa pela seleção deles, respeitando os critérios centrais e específicos. Os centrais são preço, prazo de entrega e qualidade.

O fornecedor deve cumprir essas três exigências para oferecer um bom produto. O preço deve ser justo e acessível, e o prazo de entrega precisa cumprir as necessidades do seu negócio.

Além disso, também é preciso checar outros itens importantes, como:

  • Custo total de aquisição: que está diretamente relacionado à compra da mercadoria;
  • Qualidade total do fornecedor: que analisa além da qualidade mínima, verificando tudo o que ele pode oferecer;
  • Serviço prestado: que avalia a velocidade da entrega, a consistência e a frequência das entregas, o custo do transporte, a saúde financeira do fornecedor, sua capacidade tecnológica e sua estratégia e infraestrutura.

Portanto, podemos perceber que essa avaliação se resume a alguns pontos essenciais, que são:

  • Capacidade técnica: o fornecedor deve apresentar o item solicitado com as especificações técnicas exigidas;
  • Competência produtiva: a produção precisa ser padronizada e deve produzir o máximo no menor tempo possível e sem defeitos e não conformidades;
  • Confiabilidade: o fornecedor deve ser confiável e ter uma saúde financeira estável;
  • Pós-venda: o fornecedor precisa oferecer suporte caso seja necessário fazer a troca de itens com defeitos ou fazer ajustes técnicos, além de oferecer um bom atendimento no pós-venda em geral;
  • Localização: a empresa fornecedora precisa estar próxima da sua distribuidora ou ter um estoque local para atender os seus pedidos;
  • Preço: os valores devem ser competitivos e com o melhor custo-benefício.

Apesar de o preço ser importante, ele não pode ser o único quesito a ser analisado pois, nesse caso, corre-se o risco de fechar negócio com fornecedores que não têm grande comprometimento com a qualidade e o prazo de entrega dos produtos, o que causa prejuízos para a reputação do seu negócio.

2. Alinhe os processos

Tudo o que você adquire dos fornecedores deve estar alinhado às suas atividades, ou seja, é preciso ficar atento às demandas dos clientes e realizar a previsão do estoque. Assim, você passa a comprar de maneira consciente, pois saberá a frequência de entrada e saída de cada mercadoria do seu estoque.

A previsão também é útil para que você feche acordo com empresas que possam cumprir as suas necessidades. Se algumas delas não conseguirem acompanhar o ritmo dos seus processos de transação, considere abandonar a parceria para evitar maiores problemas.

3. Esteja atento à logística do fornecedor

Conheça os processos logísticos que o seu fornecedor utiliza para cumprir as suas demandas. Saiba como funcionam o armazenamento, a distribuição e os prazos dele.

Mantenha uma comunicação constante com os vendedores para ficar por dentro de problemas de produção, transporte, armazenamento e outros imprevistos. Dessa forma, você conseguirá organizar o seu estoque, a fim de evitar problemas desagradáveis que atrapalhem os negócios.

4. Conheça as condições

Antes de assinar contratos, é preciso conhecer detalhadamente as condições descritas pela marca fornecedora no documento. Atente-se, mais uma vez, aos prazos de entrega e nas condições de estocagem dos produtos que serão entregues.

Isso é importante para sua gestão de fornecedores, pois se as mercadorias compradas estiverem conservadas de forma inadequada, elas podem estragar com facilidade, o que leva a perda de dinheiro.

5. Tenha múltiplos fornecedores

Não dependa somente de um ou dois fornecedores; o ideal é ter, pelo menos, três para cada item que você comercializa no mercado. Dessa forma, sua empresa não ficará na mão deles quando precisar repor mercadorias com urgência, pois alguns costumam aproveitar da situação para elevar o preço dos produtos.

Assim, se um fornecedor não estiver cumprindo os prazos acordados ou estiver inflexível com valores, fica mais fácil substituí-lo. Isso evita a tensão e a paralisação das suas atividades.

6. Utilize todo o potencial da tecnologia

Já que você deseja expandir seus negócios, para não se perder em meio a tantos dados e informações, será preciso utilizar um software de gestão.

Programas ERP — sistemas de gestão empresarial — ajudam a aumentar o controle de todas as funções do atacado, como logística, compras, vendas, expedição, faturamento, controle de estoque etc.

Com aplicativos desse tipo você passa a administrar os recursos da sua distribuidora a partir de um só ambiente, o que garante:

  • informações mais precisas;
  • facilita a identificação de oportunidades de diminuição de custos operacionais;
  • melhora a resolução de pendências;
  • agiliza tomadas de decisões.

Por meio de um software especializado, os dados relacionados às vendas e armazenamento são integrados em tempo real. Eles podem ser programados para colocar limites mínimos e máximos de estoque.

Além disso, também emitem alertas quando for necessário realizar compras e garantir o suprimento, mesmo que isso ocorra antes do prazo esperado.

7. Mantenha um registro de cotações

Fazer cotações é de praxe em qualquer empreendimento mas, às vezes, por ser uma função considerada “banal”, pode ocorrer um grande acúmulo desses dados que acabam sendo descartados, sem que você os registre antes.

Ter as informações referentes às cotações dos fornecedores e suas respectivas mercadorias lhe dá muitas vantagens. Por meio desses registros você consegue melhorar suas negociações, alcançando melhores preços e prazos daqueles que têm preferência.

Esperamos que as dicas de gestão de fornecedores de tecnologia abordadas neste artigo possam lhe ajudar no crescimento do seu empreendimento. Para isso, basta colocá-las em prática o quanto antes. Boa sorte nessa empreitada!

Se você gostou do post, compartilhe com seus amigos nas redes sociais para disseminar estas informações!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *