Saiba como otimizar o controle fluxo de caixa de uma pequena empresa

O controle de fluxo de caixa é primordial para a sobrevivência de um negócio, independente do porte ou segmento de atuação. Mas, temos que frisar que pequenas empresas necessitam de maior atenção, pois operam com um fluxo de caixa mais apertado e dependem mais de dados precisos e da saúde financeira do empreendimento.

Por meio do monitoramento de fluxo de caixa, sua empresa pode gerenciar custos, receitas e desperdícios. Assim como encontrar gargalos e oportunidades de negócios, isso tudo apenas analisando os números do empreendimento.

Isso não é uma tarefa fácil, pois é preciso planejamento e muita disciplina, para organizar os lançamentos e acompanhar periodicamente os dados. Além disso, é necessário mudar os hábitos que comprometem a saúde financeira da sua empresa.

Para lhe ajudar com esses pontos e otimizar seu controle de fluxo de caixa, separamos algumas dicas e práticas para serem aplicadas, não só para torná-lo eficiente, como também para reverter um fluxo de caixa irregular. Confira!

Planeje bem seu giro de caixa

O primeiro ponto é planejar bem o seu giro de caixa, organizando o pagamento de obrigações após o recebimento dos clientes. Um grande erro nas empresas é conceder parcelamentos elevados aos consumidores, enquanto possuem prazos restritos, ou curtos, para o pagamento de fornecedores.

Por isso, é vital negociar com ambas as partes de modo que quando seja necessário quitar as dívidas, haja dinheiro em caixa proveniente dos recebimentos. Caso contrário, os juros, multas e taxas decorrentes dos atrasos nas obrigações poderão minar os ganhos com as vendas.

Além disso, a falta de valores em caixa pode ser perigosa, pois, se ocorrerem imprevistos, o empreendimento terá de recorrer a financiamentos ou empréstimos, tendo de pagar juros e taxas altas.

Crie chances e benefícios para seus consumidores pagarem antes

Para conseguir otimizar o fluxo de caixa, é vital criar chances e benefícios para os clientes que pagarem antes de seus prazos de vencimento. Desta forma, você consegue captar mais verba para o seu caixa.

Uma dica é desenvolver programas de fidelidade para quem assim proceder. Isso trará duas vantagens: a antecipação dos recebimentos e o estabelecimento de uma relação mais duradoura com os consumidores, ajudando até mesmo a ​vender mais para eles.

Pesquise e descubra se seus fornecedores lhe entregam o melhor preço possível

Análise se os seus fornecedores estão cobrando de você mais do que o praticado com outras empresas. Com esses dados em mãos, você poderá negociar mais descontos, melhorando seu fluxo financeiro.

Também é importante verificar o fluxo de caixa para descobrir quais os fornecedores mais vitais para a sua empresa, dando maior prioridade a eles, além de categorizá-los conforme o volume de compras.

Separe as finanças pessoais das profissionais

Misturar as finanças pessoais com as do negócio desestabiliza o fluxo financeiro, mascara resultados (lucros ou prejuízos) e cria confusão na hora de se estabelecer projetos e tomar decisões orçamentárias.

Esse erro comum, além de prejudicar o controle de fluxo de caixa, poderá gerar implicações legais com o fisco e complicar a obtenção de crédito no mercado.

Ou seja, nada de colocar a mão no bolso para tapar rombos no caixa ou tirar dinheiro dele para pagar contas pessoais. Para isso, é preciso seguir os trâmites legais.

Use um sistema gerencial especializado para controle de fluxo de caixa

O controle de fluxo de caixa precisa de um sistema especializado de organização e monitoramento, que pode ser obtido com uma solução tecnológica financeira. Isso é vital para automatizar tarefas repetitivas, como cálculos constantes, e diminuir erros humanos nos lançamentos.

Ao substituir as tradicionais planilhas e livros caixas por softwares específicos, o pequeno empresário tem acesso a relatórios mais específicos. Assim como poderá organizar melhor as receitas e despesas.

Estabeleça uma rotina de lançamentos e monitoramento

É importante que haja uma rotina de lançamentos e monitoramento de registros, preestabelecida. Nesse caso, o ideal é fazer os lançamentos em num determinado período, todos os dias, e conferi-los no final do expediente.

Dessa forma, você evita, ou resolve, rapidamente confusões com perda de recibos, registros equivocados ou outras falhas. Caso contrário, se deixar acumular, o nível de retrabalho será alto, podendo demandar horas e até dias para conferir os documentos.

Renegocie dívidas e prazos

Assim como antecipar os pagamentos dos clientes é importante, pagar adiantado os fornecedores pode trazer vantagens. Por exemplo, descontos e participação em programas de fidelidade.

Por isso, vale a pena adiantar um pouco as obrigações visando obter benefícios futuros. Desde que seu montante em caixa seja compatível com essa estratégia.

Já para os casos em que o fluxo de caixa está irregular, com rombos e contas no vermelho, o indicado é renegociar as dívidas. Para os credores é mais vantajoso ceder um pouco e manter o cliente do que perdê-lo e receber pagamentos de forma tumultuada.

Alinhe as informações do fluxo de caixa com outros relatórios empresariais

Outra forma de melhorar o controle de fluxo de caixa é fazer um comparativo com outros relatórios da empresa, especialmente o controle de estoque e de vendas. Dessa forma, é possível detectar divergências, falhas e ações que estão sendo negligenciadas.

Tendo acesso a essas informações, o gestor poderá organizar os dados e usá-los para checagem do fluxo de caixa, visando conferir se estão adequados.

Coloque em prática e melhore o controle de fluxo de caixa da sua empresa

Seguindo as dicas e práticas citadas, além de melhorar o controle de fluxo de caixa, da sua organização, poderá obter dados mais preciso para dar suporte às atividades e tomar decisões mais assertivas.

Além disso, contando com esse controle de forma otimizada, será mais fácil obter crédito empresarial junto a instituições bancárias.

Vale destacar que em tempos de crise, conseguir controlar essa ferramenta permite cortar custos, otimizar investimentos e até mesmo focar esforços nas fontes de receitas que mais possuem potencial.

Quer ficar por dentro de mais dicas e boas práticas organizacionais como esse sobre controle do fluxo de caixa? Então siga a gente nas nossas redes sociais para receber nossos posts (Facebook, LinkedIn, YouTube)!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *