Entenda a Tecnologia de câmeras analógicas vs. tecnologias de câmeras IP

Ao instalar um sistema de vigilância em casa ou no escritório, uma escolha precisa ser feita: utilizar câmeras analógicas ou câmeras IP. Essa decisão não é simples e envolve custos e recursos técnicos. Portanto, devem ser analisadas as vantagens e desvantagens de cada uma das opções para a definição daquela que é a mais adequada para seus objetivos.

Os principais diferenciais entre os dois tipos de câmeras estão na forma como o sinal de vídeo é transmitido e na capacidade de resolução. As câmeras IP geram imagens digitais e já não necessitam mais de conversores integrados, uma vez que os modelos mais modernos possuem soluções nativas. As câmeras analógicas, por sua vez, precisam ser ligadas ao gravador de vídeo digital, o DVR, para que haja a conversão do sinal analógico em digital e, em sequência, possa ser feita a transmissão pela internet.

A transmissão de imagem de uma câmera analógica somente é possível por meio de cabos coaxiais, enquanto a câmera IP pode fazer essa transmissão utilizando cabeamento estruturado ou fibra ótica, ou ainda, através de uma rede sem fio, desde que esteja conectada a uma rede de alta capacidade.

Câmeras IP

Qualidade da imagem

Se o objetivo é a segurança, a qualidade de imagem é um fator muito importante a ser considerado. Nesse quesito, as câmeras IP levam larga vantagem sobre as câmeras analógicas.

Ao gerar uma imagem digital, a câmera IP é capaz de oferecer alta resolução e medida em megapixels. No caso de um sistema analógico, a resolução é medida em linhas e está limitada a resolução máxima dos sistemas analógicos..

Na tecnologia IP, as câmeras entregam imagens com resolução HDTV, de até 5 megapixels ou mais, e até 4K, dependendo do modelo;  permitindo monitorar áreas maiores e obter imagens detalhadas, mesmo com  aplicação de zoom digital. Já a câmera analógica possui resolução máxima de 4CIF (carca de 0.4 MP), e possui recursos limitados.

A qualidade das câmeras IP é assegurada também por recursos que  aprimoram a imagem, como estabilização de imagem, limpeza de ruídos, além do recurso conhecido como defog, que faz a compensação da qualidade da imagem captada mesmo sob condição  de neblina. Cameras IP, ainda, são muito mais imunes a interferência e são mais fáceis de instalar, uma vez que utilizam cabo ethernet ou fibra ótica.. Já as câmeras analógicas, que utilizam cabos coaxiais em sua instalação,  estão mais suscetíveis à interferência eletromagnética.

Custos

Como preço unitário, as câmeras analógicas ainda têm valores inferiores aos cobrados pelas câmeras IP. Todavia, esses gastos podem ser diluídos de acordo com o sistema de instalação que será adotado e sua manutenção. Entre as muitas vantagens, podemos citar especialmente a redução de custos com a infraestrutura, facilidade de instalar e ampliar e alta capacidade de conectividade via dispositivos remotos, muitas vezes gratuitos. São pontos bastante fortes, que estão viabilizando e popularizando a aplicação desta tecnologia pelo mercado em geral.

Em sistemas com muitas câmeras, a tecnologia IP é mais econômica. Como as câmeras analógicas são dependentes de cabos coaxiais para a transmissão de uma imagem, elas utilizam uma infraestrutura de cabeamento completamente independente da rede encontrada em empresas. Dessa forma, é preciso investir em manutenção e equipes especializadas na criação de um circuito fechado de TV. Este tipo de arquitetura de instalação das câmeras analógicas, apresenta muitas limitações para grandes sistemas e aumenta o custo e tempo de implantação.

Por trabalharem com dispositivos de rede, as câmeras IP possibilitam a utilização de uma rede já existente e a alimentação destas câmeras também pode ser feita pela mesma rede, em modelos que possuem o recurso de PoE (power over ethernet), o que diminui ainda mais o custo de instalação.

No caso de instalações em rede sem fio, é necessário apenas um ponto de energia no local para sua instalação e um rádio com antena integrada para transmissão de imagens. Essa aplicação pode ser utilizada, principalmente, em ambientes externos, como rodovias, cidades, pátios abertos, campus e estacionamentos, promovendo economia de tempo e custo de implantação.

Já a instalação de câmeras analógicas demanda, obrigatoriamente, o uso de pelo menos dois cabos. Um deles será utilizado para a transmissão de imagem, enquanto o outro será destinado à alimentação de energia. Numa câmera móvel, será ainda necessário um cabo extra para o comando de movimentação e zoom. Caso haja ainda a transmissão de áudio, será necessário um quarto cabo.

Gravação

Para a gravação das imagens, as câmeras analógicas são dependentes de um equipamento adicional, o DVR (Digital Video Recorder) no mesmo local das câmeras instaladas. Já as câmeras IP podem recorrer ao NVR (Network Video Recorder), que é um gravador de rede e pode estar em outro local remoto e mais seguro, já que recebe as imagens via rede ethernet; ou, ainda contarem com um slot de cartão de memória na própria câmera e fazer a gravação na própria  câmera  IP, o que reduz custos para sistemas simples, já que é dispensada a necessidade de um equipamento adicional. Essas imagens poderão ser acessadas pelo usuário via rede ethernet ou internet, por tablets ou smartphones com o uso de um software gratuito.

É comum que a utilização de cabos ethernet gere dúvidas sobre a perda de gravações caso haja uma queda de sinal da rede. Entretanto, com alguns sistemas IP, é possível realizar a gravação das imagens diretamente no cartão de memória da própria câmera IP no local e, posteriormente, essas imagens são transmitidas a um servidor central quando houver o restabelecimento do sinal de rede.

Alguns modelos de câmeras IP têm ainda a possibilidade de gravação na nuvem, proporcionando a segurança do armazenamento de imagens e ampliando a capacidade de conectividade remota.

Mais recursos possibilitados pelas câmeras IP

Câmeras IP apresentam ainda um grande leque de recursos que potencializam a eficiência de um sistema de vigilância, conhecidos como analíticos de vídeo. Quando dotadas destes recursos, as  câmeras são capazes de detectar eventos específicos na imagem, como mudanças no fluxo de movimento, objetos abandonados na imagem, e até pessoas em atitude suspeita, conhecido como loitering. Isso possibilita a gravação apenas de imagens e eventos pré-determinados pelo operador, gerando economia de espaço em disco para armazenamento de vídeos e gravação somente daquilo que realmente interessa para o cliente. Já em modelos analógicos, os recursos são mais limitados, e requerem que a câmera esteja sempre conectada a um gravador DVR para ativação de qualquer recurso de gravação.

A capacidade de detectar movimentos e selecionar o tipo de detecção que vai gerar alarme, permite ainda que a câmera IP envie um alerta para uma central de vigilância assim que é identificada a ação pre-determinada na cena. Dessa forma, a equipe de segurança poderá reagir de forma mais rápida e efetiva quando necessário. Esse alerta pode ser feito também com envio de fotos ou e-mails para uma central específica ou para o aparelho celular do usuário.

Outra possibilidade de alerta se refere a bloqueios de operação da câmera. Caso haja alguma anormalidade no equipamento, como a obstrução da lente e o impedimento da captação da imagem, o sistema emitirá um alarme. Algumas câmeras IP podem ainda utilizar recursos para a contagem de pessoas, objetos e veículos, além da identificação de placas de automóveis.

A distância entre a tecnologia de inteligência dos sistemas analógicos e IP aumenta gradativamente a cada ano. A maioria dos fabricantes têm orientado seus investimentos de engenharia à evolução da tecnologia IP e lançamento de novos produtos de alta tecnologia com preços cada dia mais acessíveis.

Assim, a opção pelo uso de câmeras analógicas só é justificada quando a utilização é feita em sistemas simples, sem a necessidade de visualização remota ou recursos diferenciados. Nesse caso, os preços mais baixos são a única vantagem desses modelos em relação à tecnologia IP.

Entretanto, o usuário deve ficar atento para a defasagem tecnológica destes produtos, já que, com a produção limitada de produtos analógicos, também os componentes para garantia e reparo são mais difíceis de encontrar.

Não é apenas em sistemas de vigilância patrimonial que as câmeras IP apresentam muitas vantagens. As mesmas câmeras IP utilizadas para a vigilância do ambiente, podem ser utilizadas para outras atividades que permitem gerência do através de vídeo, como monitoramento de processos industriais, detecção de incêndios em áreas de reflorestamento e pecuária, linhas de produção e monitoramento de locais perigosos para a presença humana, ajudando a prevenir acidentes, entre outras.

Outro exemplo interessante, são as aplicações para varejo. Neste caso, sistemas de câmeras ip podem auxiliar com recursos inteligentes de heatmap. Por meio dessa inteligência, podem ser identificados quais locais em um shopping ou supermercado, que possuem maior ou menor fluxo de pessoas, permitindo até fazer um remanejamento completo do posicionamento de produtos em seu ponto de venda e identificar pontos de vitrine e corredores mais lucrativos.

Quer conhecer um pouco mais sobre câmeras IP e analógicas, além de outras soluções para sistemas de vigilância? Assine a nossa newsletter e receba conteúdos como esse  no seu e-mail.

 

4 comentários sobre “Entenda a Tecnologia de câmeras analógicas vs. tecnologias de câmeras IP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *